Sexo e Relacionamento

Cheiros decidem nossos relacionamentos

Cheiros influenciam nossos relacionamentos
Publicado por Tony Carvalho

Todos sabemos que o cheiro de uma pessoa desempenha um papel importante nas leis da atração.

Mas nem imaginamos o quanto!

Sabe aquela atração ou rejeição que sentimos quando chegamos perto de alguém? Então, grande parte desse comportamento é ditado pelo cheiro da pessoa.

E não é do cheiro de perfume de que estou falando.

É daquele cheiro natural subjacente, aquele cheiro que sentimos quando entramos na casa de alguém ou quando usamos uma peça de roupa da pessoa.

Esses cheiros que todos temos são comumente chamados de feromônios. E são tão sutis que não conseguimos detectá-los conscientemente, mas são ao mesmo tempo, poderosos o suficiente para influenciar nossa atração pelas pessoas.

Esses “micro-cheiros” são os mesmos que ajudam os animais a se distinguirem. E como também somos animais podemos usar o cheiro do cheiro para nos distinguir e  até para selecionar nossos parceiros sexuais.

Esses cheiros, esteroides inodoros flutuam no ar, estimulando os nervos do nariz. Os sinais nervosos chegam ao nosso cérebro, desencadeando reações químicas complicadas que nos orientam a tomar certas atitudes.

Alguns pesquisadores acham que o cheiro pode ser a constante cosmológica oculta no universo sexual, o fator ausente que explica no âmbito mais instintivo com quem desejamos nos relacionar sexualmente.

É por isso que podemos sentir repulsa por alguém que é completamente perfeito no Instagram ou no Facebook.

É que na tela não sentimos o cheiro.

O cheiro como determinante nos relacionamentos

Nosso cheiro desempenha um papel importantíssimo nos nossos relacionamentos amorosos.

Se não gostamos do cheiro de alguém, não nos apaixonamos pela pessoa. E se ao longo do tempo deixamos de gostar do cheiro de quem relacionamos, nossa atração sexual também vai diminuindo.

E isso geralmente decreta o fim do relacionamento, ficando as pessoas juntas ou não.

Preferimos quem tem cheiros diferentes dos nossos

Existe grande grupo de moléculas, chamado de complexo principal de histocompatibilidade (MHC), que influencia a composição genética de nosso sistema imunológico, incluindo o cheiro do odor de nosso corpo.

Em um famoso estudo de 1995, pesquisadores descobriram que preferimos os odores corporais dos homens (ou mulheres) cujas composições de MHC são diferentes das nossas.

No estudo, 44 estudantes do sexo masculino foram convidados a usar uma camiseta por duas noites seguidas e evitar qualquer coisa que pudesse interferir com seu cheiro natural. Os pesquisadores forneceram sabonete sem perfume e loção pós-barba. Depois de duas noites, 44 mulheres foram convidadas a julgar seis camisetas.

De forma consistente, as mulheres disseram que os cheiros das camisetas usadas por homens cujas composições MHC diferiam das delas eram mais “agradáveis”. E homens cujas composições de MHC eram semelhantes tinham camisas menos cheirosas.

Claro, há uma variedade de fatores que influenciam a atração sexual, mas definitivamente não é exagerado pensar que a biologia desempenha um papel. E nossos narizes são realmente bons em escolher pessoas que são geneticamente compatíveis conosco.

Há algo que possamos fazer?

Nosso cheiro mais sutil e “animalesco” não está exatamente sob nosso controle.

Ele é determinado primeiro pela genética, pelos nossos hormônios, pela nossa saúde, pela nossa idade… Mas também é determinado pela nossa alimentação e, é claro, pela nossa higiene.

Padrões higiênicos elevados podem até suprimir nosso cheiro natural, por momentos é claro. Mas pode.

Alimentação também é um fator determinante no nosso cheiro. Pode piorar ou minimizar nosso cheiro natural. mas não podem transformá-lo.

Alimentos como carnes pioram sobremaneira nosso cheiro corporal, enquanto vegetais tentem a dispersá-los e melhorá-los.

Outra coisa que podemos fazer é evitar usar os mesmos produtos de higiene que nossos parceiros sexuais. Evite usar os mesmos shampoos, sabonetes, hidratantes… Ahhhh e também o sabão em pó e amaciantes. Use sempre diferentes.

Mas é importante deixar claro que isso será somente uma ajuda, um toque superficial, para lutar contra nossa verdadeira natureza.

Nada que possamos fazer pode mudar nossa essência. Literalmente falando.

Portanto, acredite sempre na mensagem que o cheiro de alguém te transmite.
Cheiros nunca mentem.

 

Consultei:
Oz, Dr. e Roizen, Dr. “The Scent of Attraction – Youbeauty.com.” YouBeauty . Np, nd Web. 18 de setembro de 2014.
Svoboda, Elizabeth. “Aromas e sensibilidade.” Psychology Today: Health, Help, Happiness + Find a Therapist . Np, nd Web. 19 de setembro de 2014.

Sobre o autor

Tony Carvalho

Livre.
Também blogueiro, funcionário público, produtor de conteúdo, investidor, perfumólatra e gateiro.

Deixe seu comentário!